Suazilândia

Região
África Meridional

Capital
Mbabane / Lobamba

Extensão Territorial
17.360 Km²

Idioma
Inglês

Idiomas Adicionais
Sussuáti

População Total
1.203.330 habitantes

Fonte População
Indicators on Population. In United Nations Statistics Division. Demographic and Social Statistics. Statistical Products and Databases. Social Indicators, 2011.

Total PIB
3.927 milhões de US$

Total PIB
Indicators on Population. In United Nations Statistics Division. Demographic and Social Statistics. Statistical Products and Databases. Social Indicators, 2011.

Moeda
Lilangeni

Histórico
SUAZILÂNDIA - País sul-africano limitado a leste por Moçambique e em todas as outras direções pela África do Sul. Seu nome deriva do swazi, povo que ocupa aquelas terras desde o início do Século XIX. Diz a História Oral, que por volta daquele século, um grupo de negros bantos, sob a chefia de Dlamini, se separou da tribo original e migrou para o sul, na costa de Moçambique. Desde cerca do final do Século XVIII, os zulus empurraram esses nativos desgarrados dos bantos para as montanhas a oeste e lá erigiram um reino sob o comando de Sobhuza I. Com o suserano seguinte, Mswazi II, o reino atingiu o seu apogeu. Por conta disso, aqueles bantos passaram a serem chamados de swazis. Em fins do Século XIX, a Inglaterra deu proteção ao reino swazi diante dos zulus. Entretanto, as terras do reino foram ocupadas pelos bôeres - colonos brancos sul-africanos, descendentes de holandeses, que tinham sido expulsos pelos ingleses da África do Sul, assim que foram descobertas a primeiras jazidas de diamantes na região. O país swazi tornou-se protetorado britânico, em 1903, logo após os ingleses se saírem vitoriosos na Guerra dos Bôeres. Em 6 de setembro de 1968, a Suazilândia se tornou uma monarquia constitucional, liderada pelo rei Sobhuza II. Em 1973, o rei dissolveu o Parlamento, revogou a Constituição e proibiu a atuação dos partidos, assumindo poderes absolutos. Uma nova Constituição, em 1978, criou um Parlamento com poderes limitados. Sobhuza II morreu em 1982, sendo sucedido por seu filho Makhosetive, coroado em 1986 com o nome de Mswati III. Nos anos 90, o fim do apartheid na África do Sul impulsionou o movimento por democracia no país. As primeiras eleições legislativas foram realizadas em 1993. Três anos depois, uma violenta greve geral clamava pelo fim da Monarquia absolutista. Mswati III nomeou como primeiro-ministro Barnabas Dlamini e instalou um Comitê de Revisão Constitucional (CRC). Em novembro de 2000, nova greve geral exigindo democracia foi duramente reprimida pela polícia. A oposição rejeitou, em janeiro de 2001, o projeto de reformas elaborado pelo CRC. O país continua sendo governado pelo rei Mswati III, tendo por primeiro-ministro, Barnabas Sibisiso Dlamini.

Mapa