Somália

Região
África Oriental

Capital
Mogadíscio

Extensão Territorial
637.660 Km²

Idioma
Árabe

Idiomas Adicionais
Somali

População Total
9.556.873 habitantes

Fonte População
Indicators on Population. In United Nations Statistics Division. Demographic and Social Statistics. Statistical Products and Databases. Social Indicators, 2011.

Total PIB
1.071 milhões de US$

Total PIB
Indicators on Population. In United Nations Statistics Division. Demographic and Social Statistics. Statistical Products and Databases. Social Indicators, 2011.

Moeda
Xelim Somali

Histórico
SOMÁLIA - País africano localizado no chamado "chifre da África". Banhado pelo Oceano Índico, é limitado ao norte pelo Djibouti, a sudoeste pelo Quênia e a oeste pela Etiópia. Seu nome deriva da palavra somali, que em dialeto local significa "negro". O povo somali é extremamente arcaico, inclusive há indícios deste povo descritos em documentos do Antigo Egito. Desde muito tem relações comerciais com a Etiópia, a Arábia e com outros povos asiáticos. A partir do Século VIII, o islamismo começou a chegar naquela região. Do Século X ao XIX, os somalis se expandiram, chegando ao Quênia e à etiópia, Expulsaram os galas, e escravizaram os bantos, empregando-os na agricultura. Entretanto, não havia uma unidade política entre o povo somali. Os vários clãs mantinham-se em permanente luta por predomínio. No Século XIX, após várias lutas com povos vizinhos e invasores como os turcos otomanos, os somalis entraram em decadência. Com a abertura do Canal de Suez, pela posição estratégica da Somália, suas terras despertaram a cobiça de potências imperialistas. Inglaterra e França, que já possuíam entrepostos ali, expandiram suas posições. Em 1869, dois anos depois da abertura oficial do canal, a Itália também se estabeleceu em Aseb, que mais tarde originou a colônia de Eritréia. Em fins do Século XIX, França e Inglaterra e até o Egito estabeleceram protetorado na Somália. Hoje, o país é um dos mais pobres do mundo. Tornou-se independente em 1º de julho de 1960. Anos depois, em 21 de outubro de 1969, o major-general Mohamed Siad Barre assumiu a presidência por golpe de Estado. A independência e a posse de Barre, contudo, não foram suficientes para acalmar as disputas entre os diversos grupos que visam tomar o poder do país. Assim, em janeiro de 1991, Barre foi deposto por rebeldes, que em seguida, começam a lutar entre si. A escassez de recursos naturais e os longos anos de guerra contribuíram para o estado critico da economia somali. O país possui uma economia de mercado, cujo setor mais importante é o da agropecuária, com a criação de gado respondendo por cerca de 40% do PIB e por cerca de 65% das exportações. A maioria das indústrias foram fechadas por causa da guerra civil. O processamento de produtos agrícolas sustenta o pequeno setor industrial do país e corresponde a apenas 10% do PIB. A Somália tem uma das mais altas taxas de mortalidade infantil do mundo, com cerca de 10% das crianças morrendo pouco depois de nascer e 25% das sobreviventes morrendo antes dos 5 anos de idade. A organização humanitária Médicos Sem Fronteiras considera a situação do país "catastrófica". Além disso, o Banco Mundial estima que 43% da população ganha menos de um dólar por dia e segundo os dados mais recentes, em 2002, a renda per capita anual foi de apenas US$226. Recentemente, milícias islâmicas se estabeleceram no país, que estava literalmente sem governo, em caos abertamente estabelecido, desde 1991. Tropas da Etiópia apoiaram as forças do Governo Provisório Somali, conseguindo vencer os comandos islâmicos que ocuparam o poder. Atualmente, está na presidência Sharif Ahmed, com Mohamed Abdullahi Mohamed como primeiro-ministro.

Mapa