Senegal

Região
África Ocidental

Capital
Dacar

Extensão Territorial
196.720 Km²

Idioma
Francês

Idiomas Adicionais

População Total
12.767.556 habitantes

Fonte População
Indicators on Population. In United Nations Statistics Division. Demographic and Social Statistics. Statistical Products and Databases. Social Indicators, 2011.

Total PIB
12.841 milhões de US$

Total PIB
Indicators on Population. In United Nations Statistics Division. Demographic and Social Statistics. Statistical Products and Databases. Social Indicators, 2011.

Moeda
Franco

Histórico
SENEGAL - País africano banhado pelo Atlântico, limitado ao norte pela Mauritânia, a leste pelo Mali, ao sul pela Guiné e pela Guiné-Bissau e a oeste pela Gâmbia (país que é totalmente encravado no território senegalês). É o mais próximo vizinho de Cabo Verde, arquipélago que se espalha pelo Atlântico a ocidente do cabo Verde. Seu nome veio do povo berbere, conhecido como sanhaja, conforme mencionado em documentos árabes datados do Século IX. O etnônimo foi se alterando ao longo dos tempos para sanghana, canaga e senega, dando nome à região e ao seu rio principal. As atuais terras do país foram primordialmente ocupadas há mais de 150 mil anos, conforme achados arqueológicos na região. Já em tempos relativamente modernos, as margens do Rio Senegal foram povoadas por tribos convertidas ao Islã, pelo contato com países vizinhos já islamizados. As tribos uolof, fulani e tukeler, entre outras, viviam no atual Senegal, quando os portugueses estabeleceram os primeiros contatos, no Século XV, quando estavam explorando a costa africana, no rumo de tentar encontrar um caminho marítimo para as Índias. Entretanto, foram os franceses, no Século XVII, que assumiram o controle da colônia, inicialmente trocando produtos manufaturados por produtos locais, mas especialmente de olho no comércio de escravos para as lavouras de cana-de-açúcar nas Antilhas. A política colonial francesa se baseou em uma administração indireta, utilizando os chefes locais como intermediários e colaboradores. Nas principais cidades, Dakar, Gorée, Rufisque e Saint-Louis, o governo estava diretamente em mãos francesas. Quando a Revolução Francesa aboliu a escravidão, os senegaleses receberam a cidadania do país-sede. Foi a única colônia africana onde isso aconteceu, embora os nativos fossem considerados como cidadãos de segunda classe, mesmo tendo direito a enviar um deputado para Paris. Na segunda metade do Século XIX, rebeliões comandadas por líderes muçulmanos tentavam a libertação da França, que no entanto, conseguiu sufocar os revoltosos, pacificando o país. Mesmo assim, os ideais de libertação e de valorização da etnia e negritude começaram a se disseminar no país, especialmente nos anos 30 do Século XX. A independência foi proclamada em 4 de abril de 1960, com o país tornando-se a República do Senegal. O governo optou por uma via política inspirada no chamado socialismo islâmico, difundido por um conjunto de associações, escolas e jornais, de onde se destacou Léopold Sédar Senghor como o principal teórico do sistema democrático e Presidente da República. Em 1982, o Senegal uniu-se à Gâmbia para formar a confederação Senegâmbia, por meio de um pacto que unia instituições comuns, integrava as forças armadas e de segurança. A Senegâmbia foi dissolvida em 1989 por divergências entre os dois países. Atualmente, está na presidência Abdoulaye Wade, com Souleymane Ndéné Ndiaye como primeiro-ministro.

Mapa