Angola

Região
África Central

Capital
Luanda

Extensão Territorial
1.246.700 Km²

Idioma
Português

Idiomas Adicionais

População Total
19.618.432 habitantes

Fonte População
Indicators on Population. In United Nations Statistics Division. Demographic and Social Statistics. Statistical Products and Databases. Social Indicators, 2011.

Total PIB
82.470 milhões de US$

Total PIB
Indicators on Population. In United Nations Statistics Division. Demographic and Social Statistics. Statistical Products and Databases. Social Indicators, 2011.

Moeda
Kwanza

Histórico
ANGOLA - País localizado no litoral central africano. A origem de seu nome vem provavelmente da palavra do dialeto bantu "Ngola", nome do rei do Congo que conquistou a região, incorporando-a ao reino, conforme aparece em documentos portugueses do Século XVI. Como em todo continente africano, a área onde hoje se localiza Angola foi ocupada desde a pré-história, conforme se depreende dos achados arqueológicos descobertos na região. Para os ocidentais, Angola tornou-se conhecida a partir da segunda viagem de Diogo Cão, em 1485. No entanto, a presença portuguesa por lá não foi significativa, a não ser a partir de meado do Século XVI, quando Paulo Dias de Novais, em expedição ao local, sugeriu que a Coroa portuguesa recuperasse aquele território. Em 1574 foi criada, então, a Capitania de Angola, com Dias de Novais como seu donatário, exatamente como fora feito no Brasil 40 anos antes. O novo donatário desembarcou em Angola, em 1575, com cerca de 700 homens, e no ano seguinte, fundou a vila de Luanda ali onde desembarcara. Criou ali um entreposto de comércio de escravos para o Brasil, tornando-se, assim, dependente dos interesses comerciais com a economia escravocrata brasileira. Em 1641, uma expedição holandesa saiu do Recife para ocupar Luanda e estabelecer comércio de escravos para a lavoura açucareira de Pernambuco. Por sete anos, o comércio angolano serviu exclusivamente ao Recife holandês. Em 1648, os portugueses retomam aos holandeses o controle de Angola por conta daquela capitania ser vital aos interesses do Brasil português. Do Século XVII ao XVIII, Angola esteve sob as ordens do governo-geral brasileiro e do vice-reinado, sediado no Rio de Janeiro - consta inclusive que João Fernandes Vieira e André Vidal de Negreiros, heróis pernambucanos na luta contra o holandeses, governaram a capitania de Angola ao longo do Século XVII. Ao longo do Século XIX, Angola permaneceu, como colônia, sob domínio português, com a garantia e proteção inglesa. Com o advento da República, em Portugal, muito pouco foi alterado na relação colonizador-colônia. Veio o período salazarista, a partir de 1930, e foram assinados decretos de garantia dos interesses portugueses nas terras angolanas. Em 1951, Angola passa a ser denominada como "província ultramarina", por determinação das Organizações das Nações Unidas. A partir dali, iniciam-se movimentos no sentido de tornar o país independente, especialmente a partir de 1956, quando surge o Movimento Popular pela Libertação de Angola (MPLA). Mas adiante, surgiu a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) e a Frente Nacional pela Libertação de Angola (FNLA). Começa a luta armada pela independência angolana, com as forças militares portuguesas procurando resistir à libertação do país. Com a Revolução dos Cravos, de 25 de abril de 1974, que determinou o fim do regime salazarista em Portugal, as províncias ultramarinas foram gradativamente se tornando independentes. A libertação total de Angola chegou em 11 de novembro de 1975. Os três grupos que lutavam contra o domínio português passaram a lutar entre si, com cada um recebendo apoio de outros países. Começa a guerra civil no país, que só foi interrompida com o Acordo de Bicesse. Eleições foram realizadas mas a UNITA não reconheceu a vitória do MPLA e a luta fratricida recomeçou e só foi se interromper em 2002, com a morte de Jonas Savimbi, líder da UNITA. Desde 1979, José Eduardo dos Santos, ex-líder do MPLA, é o presidente de Angola.

Mapa